BB Leaders

A Blue Bird Shoes nasceu como uma empresa de mulheres, para mulheres. Nossa co-fundadora e Diretora de Criação, Michelle Lima, é a primeira líder que gostaríamos de enaltecer em uma série de diálogos mensais com mulheres inspiradoras que dividirão conosco suas visões e histórias de sucesso. Abaixo, na íntegra, nosso primeiro bate-papo exclusivo:

O que te motivou a abrir seu próprio negócio?

O que me inspirou abrir o meu próprio negócio não foi a vontade de empreender e sim a vontade de resolver um problema. Eu e minha sócia, a Paula, olhávamos o mercado e víamos que não tinha nenhuma marca se preocupando com design, conforto, qualidade para essa mulher jovem, como a gente, contemporânea, ativa, que trabalhava, que precisava de praticidade para correr com o dia dela. Então, foi muito mais uma necessidade de tentar preencher uma lacuna do que esse empreender. Empreender foi o segundo passo do nosso negócio, o primeiro era realmente encontrar o produto certo naquele momento - que era o que a gente queria e se propôs a fazer.

Quem foram as pessoas que mais e inspiraram e de que maneira?

Tem várias - eu diria a minha mãe e minha avó. Ambas são grande inspiração de estilo e lifestyle, personalidade e formação de caráter na minha vida; responsáveis pelo o que me tornei hoje. Grandes empresárias como a Natalie Klein, uma mulher que me inspira, corajosa, destemida, que criou um super negócio bacana! Pessoas assim líderes mais jovens, como eu, como a Emily XXXX que eu tenho o prazer de chamar de amiga, que me inspira que ousar, que tenta fazer negócio em outro idioma. 

Eu acho que todas as mulheres de maneira geral inspiram a gente, como marca. Nossas clientes me inspiram a querer conhece-las melhor a cada dia, buscar entender suas necessidades e desejos para criar o produto mais adequado para elas. Me sinto inspirada a me desafiar diariamente e eu acho que como mulheres nós temos essa beleza feminina, essa garra, que ninguém vai tirar da gente.

Quais foram seus principais desafios e como você os superou?

Começar um negócio não é fácil. Montar um conceito e fazer com que as pessoas acreditem em uma coisa nova já é um passo mais arrojado e isso foi um desafio positivo. Quando lançamos a Blue Bird as pessoas olhavam e pensavam que era só um modelo de sapato, mas não era apenas um modelo de sapato. Estávamos tentando mudar um estilo de vida, propor um modelo novo, que as pessoas iriam colecionar; que iria mudar a maneira de pensar, que as mulheres irião querer por estarem em um novo dia, um novo momento mais confiante e independente de suas vidas. Essa proposta de trazer uma coisa nova para o mercado foi um desafio, que hoje eu vejo que foi superado. Hoje temos grandes parceiros, amigos, fãs da marca e conseguimos fazer isso de uma maneira linda, criativa. Empreender no Brasil tem sido um desafio constante, mas é uma delícia! Aprendo todos os dias. Procuro ver tudo de uma maneira positiva. Eu sou movida a desafios. Quando as pessoas falam que eu nunca vou conseguir algo, para mim se torna ainda mais especial a conquista de tal objetivo.

Qual é a sensação de ver seu negócio gerando frutos? De quais conquistas mais se orgulha? 

O lucro é uma consequência de um trabalho bem feito e bem executado. Então, quando eu vejo na rua uma pessoa usando meu sapato; que não me conhece e ela está usando o sapato porque ela gosta da marca, acredita e vê verdade no propósito que a gente criou, isso para mim me dá satisfação! Eu falo que eu posso estar num dia péssimo, se eu vejo uma pessoa usando Blue Bird já melhora meu humor. E isso acaba gerando lucros; é uma consequência do trabalho. Existem várias pessoas por trás da criação dos nossos sapatos e talvez os lucros que geramos investimos em uma nova aposta, em uma nova construção. Isso é uma conquista da qual me orgulho muito: ter a marca em muitos lugares e ter pessoas que eu admiro - grandes líderes, grandes mulheres - usando a marca. É realmente algo que me emociona.

Que dicas daria a si mesma no início da carreira?

Talvez mais paciência, não seria tão ansiosa. Eu falaria para mim mesma “Vai dar tudo certo, você está no caminho certo. Fique tranquila que lá na frente você vai olhar para trás e vê que está no caminho certo, não desista, não tenha preguiça; você deve ser persistente. Como eu sempre fui muito ligada à corrida eu aprendi duas coisas: persistência e resiliência’’

Tem algo que faria de diferente?

Muitas coisas, a gente tem uma maneira mais informal de fazer as coisas no Brasil, porque confia nas pessoas. Travaria mais contrato. Se tivéssemos traçados algumas coisas mais estruturadas, teríamos menos empecilhos no caminho. Acho que não basta apenas sonhar, tem que também alocar aquele planejamento do sonho para que se torne realidade, isso eu também faria diferente.


Você está grávida de seu primeiro filho. Em que imagina que a Michelle empresária e a Michelle mãe vão se diferenciar?

Eu sou uma coisa só. Não tenho isso de divisor de águas entre um papel e outro. Sou a mesma pessoa dentro da minha casa e dentro da empresa ou com outras pessoas - talvez mais reservada. O que vai diferenciar eu não sei. Eu tenho a minha maneira de liderar e sou super hands-on. Acredito que você lidera por exemplo e minha equipe vê isso muito claro. Sempre chego cedo pela manhã e só vou embora no final do dia, quando as pendências já estão encaminhadas. Quando temos uma questão que ninguém consegue resolver sento com a equipe para propormos uma solução para o desafio. Acredito que como mãe, nessa nova fase para mim, essa experiencia de liderança só vai trazer benefícios. De certa forma, considero que todos na empresa são meus filhos - tenho responsabilidade não apenas em termos de vínculo empregatício, mas de garantir que meus funcionários estejam felizes e orgulhosos do que produzimos juntos. Talvez sendo mãe possa me tornar ainda mais zelosa, mas hoje já tenho muito carinho por todos que estão dividindo o mesmo sonho com a gente.


Qual o seu próximo sonho ou grande projeto? 

Meu desafio pessoal aqui é que todas as mulheres desçam do salto – com nossos sapatos lindos, lúdicos e divertidos. Acredito que toda mulher tem o direito de ser ela mesma e estar cômoda - vestida de maneira funcional e confortável para exercer, correr atrás do que bem quiser. 


O que é empoderamento feminino pra você?

A Blue Bird nasceu de uma proposta muito alinhada com o discurso feminista - de permitir a mulher a escolha de descer do salto, a escolha de priorizar seu conforto e praticidade. Empoderamento feminino é ter e promover a coragem de ser quem você é. É aprender a enxergar a limitação que os rótulos nos impõe, e ainda assim, ter a liberdade de se expressar como quiser. Acredito que essa liberdade de escolha é que promove o empoderamento feminino.  É muito importante para a mulher ter uma voz ativa, mais forte e fazer a diferença. Hoje, na Blue Bird, 90% da nossa equipe é feminina – incluindo os cargos de maior liderança. 


De que projeto pessoal você mais se orgulha e por que?

Meu projeto de vida é a Blue Bird, mas acho que em um nível ainda mais pessoal me orgulho do meu casamento. É algo que eu luto para manter forte, saudável. Também acredito que a vinda da minha filha vai mudar a minha vida de uma maneira positiva, que me dará muita satisfação. E como falei, não existem duas Michelle. Então o meu maior projeto vai ser sempre escalar e ver a Blue Bird voando cada vez mais alto.

LOAFER ARTSYSIDE CAMURÇA PRETO

EU QUERO

ESPADRILLE ARTSYSIDE SARJA

EU QUERO

ESPADRILLE ARTSYSIDE SARJA

EU QUERO